A utilidade eclesial da aprovação das associações

  • Silvana Neckel
Palavras-chave: Associações. Fiéis. Igreja. Estatuto. Direito Canônico.

Resumo

O Concílio Vaticano II sinalizou o valor dos leigos na missão da Igreja, na medida em que eles participam do múnus profético, sacerdotal e real de Cristo. Eles exercem sua atividade apostólica e a eles é permitido fundar e administrar associações com o mesmo objetivo da caridade e piedade, para fomentar a vocação cristã no mundo e alcançar finalidades comuns. Contudo para que estas associações possam ser validamente reconhecidas pela Igreja como associações de fiéis e participar ativamente de sua missão, devem cumprir requisitos determinados pela legislação canônica, dentre estes submeter seu estatuto a análise e aprovação da autoridade eclesiástica. A associação de fiéis é uma forma associativa de apostolado, pois os cristãos que dela participam se comprometem com a sociedade cristã de forma permanente, estas associações tem grande capacidade de evangelização e dialogo com o mundo, pois estão presentes em vários segmentos e setores da sociedade.

Publicado
2019-02-27
Seção
Comunicações