A Justiça na Igreja: compreensão teológico-jurídica

  • Tarcísio Pedro Vieira
Palavras-chave: Justiça, Justiça eclesial, Caridade e Misericórdia

Resumo

A Igreja é por sua própria natureza promotora e defensora da Justiça. Para o cristão, promover a Justiça é realizar sua vocação: trabalhar pela salvação. No plano ético-religioso, a Igreja deve abrir-se à Justiça enquanto graça e dom de Deus,
enquanto missão e compromisso, enquanto exigência da caridade e do reconhecimento da dignidade e dos direitos alheios. A Justiça, desta forma, não será plena se não estiver vinculada diretamente à Caridade, à Misericórdia, à equidade, à paz e à verdade. A Igreja, embora considere o quanto preconizado pela filosofia e pelos juristas romanos, apresenta o conceito de Justiça enriquecido com o ensinamento bíblico-teológico, enfatizando a primazia da Caridade. A Caridade, por sua vez, tem sua expressão maior na Misericórdia. Assim, a razão de ser da Justiça Eclesial é a Misericórdia, considerando que a sua lei suprema é a salvação das almas.

Publicado
2018-03-30
Seção
Articles