O governo em geral das Sociedades de Vida Apostólica

Autores

  • Showri Raju Yetukuri

DOI:

https://doi.org/10.31240/2595-1165.vol3n5a2020pp99-141

Palavras-chave:

Sociedades de Vida Apostólica, Atividade apostólica, Vida fraterna, Votos, Governança

Resumo

O apelo original para fundar as Sociedades de Vida Apostólica foi para evidenciar a necessidade da santificação sacerdotal e concentrar-se na atividade missionária que tomou forma na Europa a partir do século XVI. Tendo passado por muitos processos, o Código de 1983 é o documento oficial que definiu e descreveu a natureza e a identidade de tais Sociedades. De acordo com o cân. 731 § 1, os elementos comuns e constitutivos são: a atividade apostólica, a vida fraterna em comum, a busca pela perfeição da caridade. Um aspecto importante nas Sociedades é o governo. A governança nas Sociedades tal como nos Institutos Religiosos é realizada por três maneiras: leis, órgãos e pessoas. As leis incluem o direito universal - conforme contido no Código de 1983 e aquelas promulgadas pela Sé Apostólica - e as normas do direito particular com leis promulgadas pela Igreja particular e pelo direito próprio de cada instituto. Os órgãos podem ser colegiais ou não colegiais, por exemplo, capítulos, conselhos e outros grupos legalmente designados. Pessoas são os indivíduos que governam o instituto de acordo com as normas e com autoridade pessoal.

Downloads

Publicado

2021-06-20

Edição

Seção

Artigos