A eclesiologia do Papa Francisco na Evangelii Gaudium: um resgate da Igreja como Povo de Deus e suas implicações sinodais no ordenamento canônico

Autores

  • Alberto Montealegre Vieira Neves

DOI:

https://doi.org/10.31240/2595-1165.vol4n7a2021pp41-80

Palavras-chave:

Eclesiologia, Povo de Deus, Igreja sinodal, instituições canônicas

Resumo

A eclesiologia do Concílio Vaticano II institui uma perspectiva, por meio da Lumen Gentium, primeiro, fundamentada na noção de Igreja como Sacramento. A qual acaba por visar um reequilíbrio entre a dimensão mistérica e a institucional da Igreja, prezando, sobretudo, pela impostação relacional na organização eclesial. A segunda noção que se torna base da eclesiologia conciliar é a categoria de Povo de Deus, a qual entende compreender a Igreja a partir da igualdade de dignidade de todos os batizados, mas ao mesmo tempo valorizando a participação e a corresponsabilidade de todos os fiéis na missão eclesial herdada de Cristo. O Papa Francisco com o seu pontificado almeja implementar a eclesiologia conciliar. Tal projeto do Romano Pontífice acaba implicando na valorização de algumas instituições canônicas sinodais já existentes, mas também na reforma de outras. Este artigo visa estudar esta eclesiologia conciliar e as consequentes implicações canônicas na proposta de uma Igreja sinodal e missionária.

Biografia do Autor

Alberto Montealegre Vieira Neves

Possui doutorado em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense de Roma. De 03 à 28 de outubro de 2018 participou, em Roma, como auxiliar da Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos, da XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos bispos com o tema: Os jovens, a fé e o discernimento vocacional. Atualmente é professor da Universidade Católica do Salvador (Ucsal) e do curso de pós-graduação em Direito processual e matrimonial canônico na Faculdade São Basílio Magno ( FASBAM) em Curitiba. Exerce na Arquidiocese de São Salvador da Bahia, desde 2020, o ofício de Vigário Judicial e presidente do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Salvador.

Downloads

Publicado

2022-03-19

Edição

Seção

Artigos