A Comissão Diocesana: uma resposta da Igreja para enfrentar o abuso sexual de menores

Autores

  • Fabiano Schwanck Colares Presbítero do Clero da Arquidiocese de Porto Alegre. Bacharel em Filosofi a (2011) e em Teologia (2015) pela PUCRS e Mestre em Direito Canônico pelo Instituto Superior de Direito Canônico Santa Catarina (2023). Coordenador da Comissão Arquidiocesana Especial de Promoção e Tutela de Crianças, Adolescentes e Pessoas Vulneráveis da Arquidiocese de Porto Alegre.

DOI:

https://doi.org/10.31240/2595-1165.vol5n10a2022pp19-53

Palavras-chave:

Abuso sexual, menores, Igreja, Comissão, Prevenção

Resumo

O fenômeno do abuso sexual de crianças e adolescentes é um fato global, bizarro e silencioso. Faz-se presente na vida de centenas de famílias, atingindo milhões de menores de idade anualmente. Este fenômeno, que pode ser considerado uma patologia, é, ao mesmo tempo, um delito, pois fere a dignidade da pessoa humana, invadindo a liberdade e tolhendo o desenvolvimento das vítimas. Este mal atingiu igualmente os membros da Igreja: crianças e adolescentes foram abusados por aqueles que deveriam proteger e orientá-los. A Igreja respondeu a este fenômeno com a manifestação dos Romanos Pontífices. Somente um instituto multidisciplinar seria capaz de compreender tal fenômeno, acolhendo e auxiliando as vítimas, bem como agindo em prol da prevenção. Esta plataforma interdisciplinar se denomina Comissão Diocesana de Proteção de Menores.

Downloads

Publicado

2023-12-07

Edição

Seção

Artigos